Na tranquila Curitiba dos anos 50, a Família Fiori tirava seu sustento de um pequeno armazém de secos e molhados na Rua Assungui, estrada que ligava o centro de Curitiba ao longinquo Curtume Boutim (atual parque São Lourenço).  “Seo”  Emilio Fiori, negociava gêneros alimentícios para os viajantes e tropeiros e foi um dos primeiros moradores da região que hoje é conhecida como Mateus Leme.

          Com a ampla urbanização da região, seu filho, Nilson-Fiori o “Vilsinho”, transformou a “venda”, no bar do bairro,  o BAR MORUMBI, ponto de encontro dos novos moradores e amigos nos calmos fins de tarde em Curitiba na década de 70. 

          Em conjunto com sua esposa Eunice, uma cozinheira de mão cheia, o bar foi começando a servir delicias como camarão abraçadinho, espetinho de peixe e casquinha de siri. 
         
          O sucesso destes petiscos marcou decisivamente o ambiente e com o aperfeiçoamento do cardápio em julho de 1976, nascia o RESTAURANTE REI DO CAMARÃO.
          Um início modesto, com capacidade para apenas 35 pessoas, mas o aconchego e a delicia da comida pediam uma ampliação e na década de 80, depois de sucessivas reformas o restaurante passou a contar com capacidade de atendimento de 250 pessoas, tornando-se um dos maiores restaurantes de frutos do mar de Curitiba.
 

          O Rei do Camarão, como ficou conhecido foi pioneiro em ações de qualidade de vida, ainda na década de 80, foi o primeiro restaurante de Curitiba a contar com um salão exclusivo para não fumantes e na década de 90 substituiu todas as suas escadas por rampas de acessos para pessoas com dificuldade.

         Infelizmente em julho de 2003, a sede tradicional da esquina da Mateus Leme foi arrasada por um incêndio, mas com a força de amigos, clientes e familiares, as novas instalações em anexo foram reinauguradas em novembro do mesmo ano. Com mesma equipe de funcionários e contando sempre com mesmo paladar delicioso de sua culinária.

          Atualmente o Restaurante possui estacionamento próprio para mais de 50 veículos, capacidade para mais de 160 pessoas, adega climatizada, além de um salão para evento onde são celebrados casamentos, confraternizações de empresas e comemorações em geral. 

          A administração do restaurante, hoje em dia fica por conta do filho Nixon, mas sempre sob a supervisão do seu Vilsinho e Dona Nice que fica atentos aos temperos e ao padrão e qualidade do restaurante que com certeza é a garantia de seu sucesso.

          Com a família unida para servir seus amigos, O REI DO CAMARÃO já superou várias dificuldades, transição de  governos e crises na economia, mas está sempre de portas abertas para um bom atendimento assim como era no tempo da tranquila estrada do Assungui.



Nilson-Fiori o "Vilsinho” em 2003
Frente em 1970
Restaurante em 2004 após incêndio
Restaurante Atualmente